Cuidados com o filhote


Os filhotes são animais que estão em fase de desenvolvimento, de crescimento, e é nessa época que adquirem aprendizados e hábitos. Portanto devemos desde filhote acostumar nossos animais com banhos, limpezas dentárias, limpezas de ouvidos e consultas periódicas ao médico veterinário. 

1. Banho

Recomenda-se um banho a cada 7 a 15 dias, isto depende do local onde o animal fica. Sempre utilizar protetores de ouvido, local não escorregadio, e banho no horário mais quente do dia e shampoo próprio para cães.

2. Dentes

Utilizar o Kit dental encontrado em pet shop, composto de dedeira, pasta própria para cães e escova. O ideal é acostumar o cão desde filhote e escovar todos os dias, se não for possível pelo menos duas vezes por semana.

Administrar biscoitos para cães, ossos artificiais (vendidos em pet shop). Nunca administrar ossos verdadeiros, e alimentos que não sejam próprios para os animais.

Os cuidados dentais previnem tártaros e problemas dentais.

3. Limpeza dos ouvidos

Limpar os ouvidos do animal pelo menos duas vezes por semana, com produtos próprios como Epiotic® ou Dermo Kleen®, para prevenir a inflamação dos condutos auditivos (otite).

4. Nutrição

Uma nutrição adequada é um fator determinante para um correto desenvolvimento do filhote e propicia condições para uma excelente saúde geral e desempenho futuro. Sempre administrar ração comercial, pois esta contém todos os nutrientes essenciais tanto em quantidade como qualidade. 

Nunca fornecer restos de refeições, doces, massas e jamais administrar suplementos nutricionais, como minerais (cálcio, fósforo, vitaminas), pois esses suplementos prejudicam o desenvolvimento ósseo do filhote, levando a problemas futuros. Durante o desenvolvimento do animal é necessário que haja um acompanhamento veterinário, para avaliar-se o peso, condição corporal, dieta e método alimentar.

Filhote – Quando o filhote nasce durante as primeiras 12 horas de vida, é necessário que o animal receba o colostro, isso é, a primeira alimentação que o filhote recebe, é o leite materno que contém todos os anticorpos, nutrientes, que serão úteis para o filhote constituir a sua imunidade. O filhote recebe o leite materno até 4 semanas de idade e então se inicia o desmame, ou seja, é a transição do leite para outro tipo de alimento, este deve ser semelhante a um mingau, e gradualmente elimina-se a água até que o alimento torne-se seco. Em todas as etapas da vida é essencial que o anima sempre tenha água limpa e fresca à vontade.

Ração de filhote até um ano e duas vezes ao dia. Pois refeições uma vez por dia podem levar a torção gástrica, sendo o tratamento apenas a intervenção cirúrgica.

Adulto – Ração comercial seca, duas vezes ao dia. E sempre água fresca e limpa à vontade. 
Classificação das rações quanto a sua qualidade:

1º - Hill’s
2º-  Eukanuba
3º - Royal Canin
4º - Pro Plan – Purina

Há algumas outras rações: como Royal Canin AGR (filhote), Royal Canin Selection (adulto), Dog Chow Filhotes e Adultos, entre outras marcas. A quantidade ideal depende da ração escolhida, as marcas mostram a quantidade ideal no verso do pacote, esta quantidade deve ser avaliada por um veterinário que avalia o ganho de peso, ou até mesmo perda de peso do animal, indicando se deve aumentar, manter ou diminuir a quantidade de ração.

5. Vacinação

É muito importante vacinar o animal contra os vários tipos virais. O importante é não utilizar vacinas de aviculturas, pois nem todas são 100% seguras.

1º Dose 2º Dose 3º Dose Anual
V10 ou V8 45 dias 66 dias 87 dias Anual
Raiva 108 dias ---------- ----------- Anual
Tosse dos Canis 66 dias ----------- ----------- Anual
Giárdia 87 dias 108 dias ---------- Anual

Esquema de vacinação

I. V 10: esta vacina auxilia na prevenção contra Cinomose, Hepatite Infecciosa Canina, Adenovírus Canino Tipo 2, Coronavírus Canino, Parainfluenza Canina, Parvovírus Canino, Leptospira canicola, Leptospira icterohaemorrhagiae, Leptospira grippotyphosa e Leptospira pomona. Todos esses tipos virais são extremamente importantes para o animal, pois a grande maioria apresenta sinais severos, tratamento caro e muito vezes podem ser até fatais. Portanto, é muito importante a vacinação do animal.

Alguns veterinários utilizam a V8 que é semelhante a V10, a diferença é que a V8 preveni apenas Cinomose, Adenovírus tipo 2, Coronavírus, Parainfluenza, Parvovírus, Leptospira canicola, e Leptospira icterohaemorrhagiae.

II. Anti-rábica: esta vacina preveni contra a Raiva.

III. Tosse dos Canis: esta vacina auxilia na prevenção contra as doenças causadas pelo Adenovírus Canino tipo 2, pelo vírus da Parainfluenza Canina e pela Bordetella bronchiseptica.

IV. Giárdia: esta vacina é eficaz contra um protozoário flagelado denominado Giardia lambia, atualmente disseminada por todo o mundo e reconhecida como zoonose (transmitida ao ser humano). O cão infecta-se facilmente ingerindo cistos de Giardia, que podem estar presentes na água, nos alimentos ou nos pêlos dos animais. A Giardíase (doença causada pela Giárdia) causa a síndrome da má-absorção/má-digestão, levando à desidratação, diarréia, perda de peso, dor abdominal e flatulência. Além disso, são sinais clínicos comuns da Giardíase a perda de apetite, vômitos e letargia. A vacinação de cães reduz significativamente a incidência, a severidade dos sintomas e a duração da eliminação de cistos e, conseqüentemente, o número de cistos eliminados.
6. Vermífugo

Indicado no combate a vermes (nematódeos, helmintos, e cestódeos). Ideal vermifugação quando filhote e depois a cada seis meses. Primeira dose 3 semanas de idade.

7. Frontline topspot® ou My pet®

Combate de pulga, carrapato. Contra pulga duração de 3 meses e contra carrapato duração de 1mês. Não utilizar em filhotes de cães com menos de 1kg de peso e 10 semanas de idade. Aplicar três dias antes ou depois do banho. 

8. Dirofilariose Canina (verme do coração)

É uma doença fatal causada pela Dirofilaria immitis, um parasita que se aloja no coração e artérias pulmonares dos cães picados por mosquitos transmissores. A maioria dos cães infectados não apresenta sintomas até que a doença alcance um estágio avançado, facilitando a transmissão para outros animais e para o homem.

O parasita é incapaz de completar seu ciclo de vida no homem, porém freqüentemente se aloja nos pulmões, onde fica encapsulado. Através dos meios clínicos e laboratoriais não consegue diferenciar o parasita encapsulado de uma neoplasia, o que leva o paciente a cirurgias delicadas e traumáticas.

A transmissão desse parasita ocorre através de mosquitos transmissores como Aedes, Culex. O mosquito torna-se infectado quando pica um animal infectado e ingeri microfilárias do parasita. Após duas semanas no mosquito, as larvas da Dirofilaria immitis estão amadurecidas e são transmitidas para outros cães. Os vermes chegam à artéria pulmonar e ao ventrículo direito do coração, 2 a 4 meses após o animal ter sido picado pelo mosquito contaminado, provocando problemas cardíacos que podem ser fatais, pois os vermes adultos medem 15 a 30cm. 

Sinais clínicos: tosse crônica, apatia, falta de resistência a exercícios, cansaço e perda de peso, mas não se deve esquecer que a maioria dos cães não apresenta sintomatologia clínica. 

Esses mosquitos são comuns no litoral, portanto recomenda-se antes de ir para a praia com o cão administrar-se o medicamento e a dose correta indicado pelo veterinário. Esses medicamentos contra o verme do coração é eficaz somente por um mês. E deve-se administrá-lo antes de descer para a praia.

Portal do Rottweiler